Sente-se doente após uma sessão de cura energética?

Quando nos submetemos a uma sessão de cura energética, seja ela de que tipo for, cujo objetivo é a remoção de energias velhas, estagnadas e que já não se encontram ao nosso serviço – substituindo-as por energias de cura limpas e purificadoras – ocorre sempre uma mudança de estado, uma mudança de um “eu” energético velho para um novo “eu” energético.

O objetivo de quem se submete a uma cura energética é a remoção de energias de baixa vibração e estagnadas que causam potenciais bloqueios, manifestando-se posteriormente como doenças no plano físico, mental e emocional. Este objetivo pode ser concretizado de várias maneiras, dependendo da modalidade de cura a que nos submetemos, mas no fundo tudo se resume a substituir energias de baixa vibração do nosso sistema energético por energia limpa de origem divina.

Maior parte das pessoas não procura a cura energética diretamente por estes motivos, mas antes porque algumas coisas não estão a correr bem em várias áreas da sua vida, quer no plano físico, mental, emocional ou mesmo espiritual.As pessoas poderão estar a sentir dores de cabeça constantes, encontrarem-se num estado depressivo e de confusão geral ou sentirem-se desequilibradas, sem ter sido possível encontrar uma

causa física para estas situações. Podem também estar a passar por dificuldades em termos económicos ou por problemas nas relações afetivas. Estas serão as causas mais comuns para procurar um terapeuta que trabalhe no campo da cura energética. Contudo, a nível da nossa alma, sabemos que existe uma ligação entre as dimensões físicas, energética e espiritual, sendo essa a razão pela qual procuramos de forma intuitiva as várias terapias energéticas para resolver situações de plano mais físico. Estas várias dimensões são sistemas abertos que continuamente estabelecem relações umas com as outras, pelo que não há maneira de que uma alteração ocorrida num desses corpos não vá afetar os outros.

Sempre que numa sessão de cura haja uma intervenção no corpo energético através da remoção de energias de baixa vibração e sua substituição por energias de frequência mais elevada, esta mudança ocorrerá também no corpo físico e espiritual, verificando-se maior parte das vezes um desfasamento temporal entre essas alterações. Este processo de readaptação das nossas várias dimensões pode provocar um mal estar em várias áreas da nossa vida. Contudo esta realidade faz parte do processo de cura e limpeza e é semelhante à dor que uma pessoa que tenha vivido na escuridão sente ao olhar para uma zona muito clara e iluminada ou ao período de recobro de uma operação complicada. Poderemos chamar a este processo de purga energética

Dependendo do tipo de intervenção e o estado energético do paciente, este poderá sentir a purga energética com diferentes níveis de intensidade ou nem sequer a sentir de todo. Caso não a sinta, não significa que o tratamento foi ineficaz, simplesmente o trabalho energético que foi feito trabalhou dimensões que não têm um impacto tão direto no plano físico ou emocional. Todas as sensações físicas desagradáveis são o resultado da reação do nosso corpo à libertação de energias estagnadas e a readaptação às novas energias… muito semelhante a uma sessão de fisioterapia dolorosa após um longo período de imobilização. Em termos emocionais poderemos ficar mais irritados, com raiva e tristes, contudo o choro e a explosão emocional, como um acesso de raiva ou de irritação, se bem que desagradáveis são as formas das nossas emoções se libertarem… não serão estados permanentes. Claro que a pessoa poderá pensar que se a situação estava má, acabou por ficar pior com a terapia. Esse pensamento é legítimo, contudo rapidamente se desfaz se o paciente começar a reparar nas diferenças entre o estado atual e o anterior.

 

Efeitos da purga energética a nível físico:

 

- diarreira
- náusea
- febre
- dores de cabeça
- irritação cutânea
- tosse
- produção excessiva de muco
- dores musculares
- alterações na percepção corporal (por exemplo, sentir a cabeça e os membros maiores do que são)
- aumento da frequência urinária
- sensação forte de calor ou frio
- formigueiro

 

Efeitos da purga energética a nível emocional:

 

- choro espontâneo
- raiva
- irritação
- tristeza
- desorientação / confusão
- sensação de paz
- sensação de equilíbrio

 

Efeitos da purga energética a nível relacional:

 

- discussões
- relações que acabam abruptamente
- relações que se iniciam de modo inesperado
- harmonização e paz nas relações que anteriormente se assumiam como conflituosas

 

O facto destes efeitos poderem resultar de uma sessão de cura energética, não significa que alguma coisa correu mal, antes pelo contrário, é sinal que uma limpeza profunda está em curso. Quanto mais o paciente se permitir entregar ao processo de cura tanto mais rápida será a sua evolução, aceitar o estado de tristeza, não resistir ao choro, reconhecer plenamente aquilo que o irrita são modos de aprendermos quem somos e descobrirmos o nosso novo caminho.